segunda-feira, 19 de outubro de 2009


Anualmente um grupo de entusiastas da natureza realiza a descida do Rio Camaquã.O fato ganhou certa notoriedade e fez com que fosse despertado o interesse sobre a aventura de descer o rio navegando, ora calmamente, ora carregando o próprio barco e, às vezes desafiando as corredeiras.“Acredito que se este rio estivesse encravado em algum canto da Europa, seria objeto de intermináveis excursões turísticas. A imponência e o mistério da paisagem da região faz com que o turista que não conhece o lugar sinta-se arrebatado pelo panorama,” comenta Ana Tereza, remadora do Camaquã. Jornal O MINUANO
Sexta-feira - Chegada as 16 horas no acampamento do Passo do Cassão - Bagé;RS

Roberto Zago preparando um assado de javaporco

Edison Larronda e Roberto Zago

Um carteado para passar o tempo

Rio Camaquã

O que restou da balsa

A hora do rango

Ensinando a pescar

O bom cardápio do Tio Nica

O banho nas águas mornas do Camaquã

As cerca de 105 pessoas que participaram da Descida do Rio Camaquã, no fim de semana, realizaram mais do que uma aventura, enfrentando e superando obstáculos. O objetivo principal foi a contribuição para que seja potencializado um novo ponto turístico na região, bem como levada em conta a necessidade de preservação da flora e fauna de uma ampla área. Jornal CORREIO DO SUL

Remadores do Rio Camaquã

O doutor Vargas e seus comandados

Edison Larronda e Cláudio Falcão-entrevistado:Cláudio Martins

RBS Tv Bagé e Jornal Correio do Sul registram o evento

A água, a mata virgem e o céu azul são indefiníveis.

A cada curva uma nova paisagem

“Remamos todo o dia com diversas paradas, tanto para descanso como alimentação e algumas para documentação e registro, visto que havia fotógrafos e cinegrafistas na equipe”, diz o chargista Cláudio Falcão, apresentador do “Rota 20”, da NET/Bagé.

Fernanda Mainardi

A ex-secretária Marlisa Fico

Ex-prefeito Luiz Fernando Mainardi e sua esposa Marcia

Arroio Velhaco: afluente do Rio Camaquã

Águas do Arroio Velhaco

Edison Larronda e Cláudio Falcão nas águas do Velhaco

E segue a descida

Dando uma de Tarzan

Um ribeirinho conta uma história de pescador

Um lindo crepúsculo na tarde de sábado

Durante a noite a temperatura é muito agradável

Domingo cedinho

Um toque na maquiagem

Recomeça a jornada

Para as crianças tudo é novidade

Uma parada para confraternizar

Fernanda, Carlos Wesley, Roberto e Cláudio: descendo ou subindo

Tudo é lindo

Jesus Cristo...o que fui inventar!!!!

Que tranqüilidade

O tão esperado Fervor

Este lado é no município de Caçapava do Sul

As paisagens vistas compensam, pois o trajeto final mostrou imagens lindas e locais que ninguém imagina que exista tão perto de nós. O “Fervor”, uma pequena cachoeira no meio dos rochedos, foi a promessa do dia e não decepcionou. Dava para descer de barco e alguns se arriscavam a descer apenas com o colete salva-vidas. Ana Paula Caneda - Jornalista

Muitos fizeram essa proeza

O trecho final foi calmo e muito bonito, ladeado de pedras e rochedos imensos. O calor de domingo foi com certeza o pior inimigo dos remadores e desgastou boa parte da energia. Mesmo assim, chegaram todos são e salvos. O que fica de tudo isso? A lembrança do lugar inigualável, as histórias que se houve. Os mais velhos fazem questão de contar o que sabem, de mostrar uma planta, de ensinar. Ninguém deixou lixo na água ou nos acampamentos e as poucas coisas encontradas no caminho foram recolhidas. Os remadores aproveitam, mas também preservam. E fica aqui o convite para participar da próxima descida, pois segundo os organizadores, a próxima é sempre a melhor. Ana Paula Caneda - Jornalista

Esse gosto indefinível de Rio Camaquã

O homem precisa a reapreender a conviver com a Natureza. (José Lutzenberger)


terça-feira, 22 de setembro de 2009